Vigia ou vigilante? Você sabe a diferença?


Apesar do nome parecido, as funções e atribuições do vigia e do vigilante não se confundem.
A começar pela formação do profissional.

O vigia é o responsável por inspecionar áreas e instalações prediais, fiscalizando e observando a entrada e saída de pessoas, veículos e materiais, prestando informações e encaminhando os interessados às pessoas solicitadas. A profissão não é credenciada pela Polícia Federal e, portanto, o vigia não pode manusear armas de fogo. Isso implica também nas atribuições deste profissional, que tem suas funções limitadas à observação e inspeção locais. Pode-se dizer que a função prática do vigia é observar o perímetro, já que o profissional não passa por treinamento, teoria e técnica necessárias para lidar com situações de risco.

O vigilante, por sua vez, é regido pela Lei Federal 7.102/1983 e é especializado em segurança privada ou empresarial. Para exercer o cargo, o vigilante deve se formar no específico de vigilância e ser credenciado pela Polícia Federal, que expede a Carteira Nacional do Vigilante e o porte de armas. Ou seja, esse profissional pode portar arma no exercício da função. O curso de formação obrigatório prepara o vigilante para atuar em segurança privada, vigilância patrimonial, transporte de valores, escolta armada e segurança pessoal.

Na Brasfort, os vigilantes são formados na Luger Academia, uma das mais conceituadas escolas de segurança de Brasília. Depois de toda essa preparação, a Polícia Federal faz uma peneira no histórico do profissional, que só recebe o credenciamento e o direito ao porte do armamento caso não apresente antecedentes criminais e nenhuma pendência com o serviço militar. Para o exercício da profissão também exige-se aprovação completa nas avaliações físicas e psicológicas, determinantes para o exercício da carreira.

Em serviço, o vigilante deve estar sempre fardado, pronto para resguardar o patrimônio e as pessoas inseridas nele. No exercício das funções, o vigilante pode ter de fazer rondas, ou patrulhas, pelo perímetro sob sua responsabilidade.

São exigências para o vigilante:

  • Curso atualizado na área;
  • Porte de armas;
  • Estar em dia com o serviço militar;
  • Não ter antecedentes criminais;
  • Estar em boas condições físicas e psicológicas para a função.

Com toda essa bagagem de aprendizado, o vigilante é preparado para lidar com situações de risco e é capaz de manusear armas, atenuar tensões, resolver conflitos, inspecionar ambientes, e realizar primeiros socorros.

Contrate profissionais capacitados

Agora que você já sabe a diferença entre as duas profissões, contratar um vigia ou vigilante vai depender do tamanho da empresa e do perímetro a ser vigiado, se o plano de segurança exige a contratação de uma equipe exclusiva de vigilantes, com todos os profissionais certificados, treinados e capacitados para lidar com os eventuais desafios e riscos inerentes à profissão.

Portanto, se sua empresa pretende contratar serviço de vigilância, é importante verificar se o fornecedor oferece profissionais devidamente habilitados para o desempenho das funções contratadas.

A Brasfort possui o melhor e mais capacitado quadro de vigias e vigilantes de todo o DF, treinados e reciclados na Luger Academia.


Brasfort. Proteção e conveniência de A a Z.


Fale com nossos especialistas e contrate vigilantes para o seu condomínio.

Saiba mais sobre o Brasfort Condomínio Empresarial. Clique aqui
Image

SAAN Quadra 03 nº 1240 - Zona Industrial
Brasília/DF - 70.632-320 +55
(61) 3878-3434